TRANSLATE:
header_logo
Login
INFORMAÇÃO, CONHECIMENTO E TECNOLOGIAS
Panorama atual do uso de tecnologias (computadores, tablets, smartphones) por médicos
Realizada pela primeira vez em 2013, a pesquisa TIC Saúde (CETIC.br*) mede o estágio de adoção das TIC (tecnologias de informação e comunicação) nos estabelecimentos de saúde brasileiros e sua apropriação pelos profissionais do setor.
As entrevistas são realizadas presencialmente e por telefone, em estabelecimentos de saúde públicos e privados de todo o país e com profissionais do setor (médicos e enfermeiros). Foram realizadas entrevistas com 1484 médicos no período de Fevereiro a Agosto de 2013, em todo o território nacional.

imagem


A maioria absoluta, 99% dos médicos entrevistados tem computador em casa com acesso à internet. No trabalho, 60% tem acesso a computadores de mesa, 22% a laptops, notebooks e netbooks; 16% a tablets e 40% a celulares e 34% dos casos nenhum destes equipamentos está disponível. Computadores de mesa e os celulares são os equipamentos de escolha fornecidos pelos locais de trabalho.
Curiosamente, eu faço parte desses 34%, mesmo morando e trabalhando na região sudeste, na 6ª maior capital do país, Belo Horizonte. As UPAS de BH não tem sistema informatizado para os médicos e só recentemente, após pedido nosso (da cirurgia da nossa unidade), nos foi disponibilizado um computador de mesa para impressão de receituário. Em Contagem, a segunda maior cidade da RMBH, e o quarto maior PIB de Minas, não tem sistema informatizado e nem computadores no Iria Diniz, o Centro de Consultas Especializadas onde trabalho.

imagem


Quando o equipamento está disponível, a grande maioria disponibiliza o acesso a internet como pode-se observar no gráfico inferior direto da imagem acima. Mas curiosamente, 8% dos tablets no ambiente de trabalho não tem acesso a internet, como os do programa Mais Médicos. Isso porque uma das características dos tablets é ter acesso à internet por wifi ou 3G/4G em todos os aparelhos, sendo uma função inerente ao dispositivo.

imagem


Dos 66% dos médicos que tem equipamento computacional disponível, 56% tem acesso a rede interna da instituição e 10%, não tem, como é o meu caso na PBH. Com relação ao tipo de equipamento onde é disponibilizado o acesso, 89% dos computadores de mesa contra 33% dos tablets e 22% dos celulares, o que eu pessoalmente acho que deva fazer parte da política de segurança, já que são dispositivos onde os dados de pacientes ainda não tem uma legislação pelo CFM/SBIS, como a que é feita para software de resgistro eletrônico em saúde. Temos um grupo fora da SBIS, onde discutimos as normas de certificação de apps de saúde e médicos, mas ainda não tem o aval da sociedade.

77% dos médicos usam o computador no contato diário com o paciente, o que ainda incita dúvidas de que se o equipamento está disponível, qual o motivo de 15% não usarem, como no gráfico inferior direito da figura acima evidencia. Posso inferir, e posteriormente farei um post dedicado a isso, que é a falta de treinamento que deixa esses profissionais à margem do uso da tecnologia.

Noss próximos posts abordarei a Infraestrutura de TIC e Gestão de TI, Registro Eletrônico em Saúde e troca de informações e Serviços oferecidos ao paciente e Telessaúde, assim como o impacto percebido pelos médicos no uso das TICs.

*Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br) é o departamento do NIC.br responsável pela coordenação e publicação de pesquisas sobre a disponibilidade e uso da Internet no Brasil. Esses estudos são referência para a elaboração de políticas públicas que garantam o acesso da população às Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs), assim como para monitorar e avaliar o impacto socioeconômico das TICs.


Fonte: original de http://timedicina.blogspot.com.br
Apoio:
xhl


sicredi
Blog
A tecnologia pode ajudar a sustentabilidade do sistema de saúde do Brasil
A discussão de compliance e ética no CQH 2018
Destaques
O impacto da pandemia no futuro dos espaços em saúde
Exame de Obtenção de Título de Especialista em Medicina Preventiva e Social e Certificado de Área de Atuação em Administração em Saúde 2020
Webinar - A Arquitetura e Engenharia Hospitalar contribuindo para o Controle da Infecção Hospitalar
2020 - Concursos para obtenção de título de especialista em medicina preventiva e certificado de área de atuação em administração em saúde
Curso da APM ajuda na sustentabilidade de empreendimentos médicos
Liderança 4.0
Mais Recentes
Mais Lidas
1Manual de Indicadores de Enfermagem NAGEH 2012
2Rumo à Excelência: Critérios para avaliação do desempenho e diagnóstico organizacional
3CQH - Roteiro de Visitas
43º Caderno de Indicadores CQH - 2009
5Manual de Gestão Hospitalar
6Por que e como aderir ao Programa CQH
7Acreditação hospitalar: um movimento inexorável?
8Manual de Gestão Hospitalar do CQH
9Prêmio Nacional da Gestão em Saúde - Ciclo 2015-2016: Regulamento e Instruções para Candidatura
10Grupo de Indicadores de Enfermagem

apmsompas