TRANSLATE:
header_logo
Login
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
19/10/12 - CRIADA A CARREIRA DE MÉDICO NA SECRETARIA ESTADUAL DA SAÚDE
O salário pago aos médicos que trabalham nos hospitais e serviços de saúde de administração direta do governo do Estado de São Paulo poderá chegar a R$ 14,7 mil.
É o que prevê proposta do novo plano de carreira da categoria, apresentada pelo governador Geraldo Alckmin na manhã da quarta-feira, 18 de outubro, Dia do Médico, na sede da Associação Médica Brasileira, a ser submetida à Assembléia Legislativa de São Paulo.

Hoje a remuneração média de um médico da rede estadual é de R$ 3,7 mil. Pelo novo plano, as faixas salariais irão variar não somente pelo número de horas semanais trabalhadas, mas também conforme a capacitação dos profissionais para o desempenho das atividades. Será criada a categoria de 40 horas semanais de trabalho, com objetivo principal de fixar os médicos nas unidades de saúde.

O valor da remuneração de até R$ 14,7 mil será para o profissional de classe III com carga horária semanal de 40 horas e que receba o teto do Prêmio de Produtividade Médica (PPM), além de outras gratificações.

Esse Prêmio será pago conforme avaliação da produtividade, resolubilidade, assiduidade, qualidade dos serviços prestados, responsabilidade e eficiência na execução das atividades profissionais. O valor do Prêmio será computado para o cálculo de férias e décimo - terceiro salário.

A carreira prevê duas jornadas de trabalho: parcial, caracterizada pela exigência do cumprimento de 20 (vinte) horas semanais; e integral caracterizada pela exigência do cumprimento de 40 (quarenta) horas semanais. (nesse caso é vedado o exercício de qualquer outra atividade remunerada, salvo as exceções legais).

Ficam mantidas até a vacância as jornadas de trabalho de 12 e 24 horas semanais, sem opção de retratação. Haverá três classes: Médico I, Médico II e Médico III, com um interstício mínimo de 5 anos na primeira classe e de 15 anos na segunda classe. As promoções obedecerão a regra de 20% de cada classe por ano

Os médicos enquadrados na classe III receberão, com teto de produtividade, até R$ 7,5 mil por jornada de 24 horas semanais, R$ 6,3 mil por 20 horas semanais e R$ 3,8 mil por jornada reduzida de 12 horas semanais. Da mesma forma, os médicos enquadrados na classe II irão receber, pelo teto da produtividade, até R$ 14,3 mil por jornada de 40 horas semanais, R$ 7,3 mil para 24 horas semanais, R$ 6,1 mil para 20 horas e R$ 3,7 mil por jornada reduzida de 12 horas semanais. Já os médicos enquadrados na classe I irão receber até R$ 13,9 mil por jornada de 40 horas semanais, R$ 7,2 mil para 24 horas, R$ 6 mil para jornada de 20 horas semanais e R$ 3,6 mil para jornada reduzida de 12 horas semanais. Esses valores serão pagos em duas etapas: a primeira 30 dias após a publicação da Lei; e a segunda a partir de novembro de 2013.

Para ingresso na carreira será realizado concurso público com duas fases: provas de caráter eliminatório e títulos. Haverá um estagio probatório de 3 anos; para confirmação no cargo o profissional deverá ser avaliado positivamente por uma comissão especial de avaliação de desempenho.

Será criada a gratificação por regime de dedicação integral – GRDI a ser atribuída exclusivamente ao médico em regime de dedicação exclusiva (40 horas). As gratificações pró-labore continuarão a ser atribuídas em caso de funções de direção (30 horas semanais) e chefias, supervisão e encarregados (20 horas semanais); os integrantes da carreira em jornada de 40 horas semanais não poderão exercer tais funções. Em caso de nomeação do médico para cargo em comissão, poderá optar pela a remuneração do qual é titular ou ocupante desde que o cumprimento da jornada de trabalho a que está sujeito seja maior do que o cargo em comissão. Continuarão a fazer jus a gratificação de preceptoria os médicos designados nos programas de residência oficiais. Fica mantida a gratificação executiva. Por terem sido incorporadas na remuneração proposta pela nova carreira ficam extintas: a gratificação especial por atividade hospitalar em condições especiais de trabalho – GEAH; a gratificação especial por atividade prioritária e estratégica – GEAPE; a gratificação especial por atividades no Instituto de Infectologia Emilio Ribas e CRT-AIDS – GEER; a gratificação por desempenho e apoio ás atividades periciais e de assistência a saúde – GDAPAS; e o prêmio de incentivo – PIN.

Conforme forem permanecendo no serviço público, os médicos poderão receber acréscimos em suas remunerações, chegando até R$ 18,5 mil mensais. "O novo plano promove um expressivo aumento na remuneração paga aos médicos de todo o Estado, proporcionando competitividade aos hospitais estaduais na contratação desses profissionais por concurso e, mais do que isso, valorizando a categoria como um todo. É uma conquista fundamental para a saúde pública paulista", afirma Giovanni Guido Cerri, secretário de Estado da Saúde de São Paulo.
Apoio:
xhl


sicredi
Blog
A tecnologia pode ajudar a sustentabilidade do sistema de saúde do Brasil
A discussão de compliance e ética no CQH 2018
Destaques
O impacto da pandemia no futuro dos espaços em saúde
Exame de Obtenção de Título de Especialista em Medicina Preventiva e Social e Certificado de Área de Atuação em Administração em Saúde 2020
Webinar - A Arquitetura e Engenharia Hospitalar contribuindo para o Controle da Infecção Hospitalar
2020 - Concursos para obtenção de título de especialista em medicina preventiva e certificado de área de atuação em administração em saúde
Curso da APM ajuda na sustentabilidade de empreendimentos médicos
Liderança 4.0
Mais Recentes
Mais Lidas
1Manual de Indicadores de Enfermagem NAGEH 2012
2Rumo à Excelência: Critérios para avaliação do desempenho e diagnóstico organizacional
3CQH - Roteiro de Visitas
43º Caderno de Indicadores CQH - 2009
5Manual de Gestão Hospitalar
6Por que e como aderir ao Programa CQH
7Acreditação hospitalar: um movimento inexorável?
8Manual de Gestão Hospitalar do CQH
9Prêmio Nacional da Gestão em Saúde - Ciclo 2015-2016: Regulamento e Instruções para Candidatura
10Grupo de Indicadores de Enfermagem

apmsompas