TRANSLATE:
header_logo
Login
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/10/14 - Redes sociais na saúde
Redes sociais para pacientes e para profissionais
I REDES SOCIAIS PARA PACIENTES

1. PATIENTSLIKEME
A PatientsLikeMe é uma plataforma de saúde digital que tem como principal ferramenta uma rede social focada nos resultados, onde os pacientes procuram por informações detalhadas sobre suas vidas e doenças ao longo do tempo. Eles compartilham de maneira aberta informações sobre a doença para que a comunidade realmente aprenda.
A empresa foi fundada por três engenheiros do MIT em 2004. Cinco anos antes, o amigo dos fundadores, Stephen Heywood, foi diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica e a família procurou informações sobre a doença e possíveis tratamentos no mundo inteiro, dando aos fundadores, a ideia de criar a startup e solucionar o problema de milhares de pessoas.

2. CIDADÃO SAÚDE
A rede social Cidadão Saúde, é uma experiência contratada junto a um grupo de apoio a pacientes com fibromialgia ligado a Universidade Federal de São Paulo. Nela, os pacientes podem separar seus assuntos sociais daqueles assuntos relativos à sua saúde, mantendo intacta a sua privacidade. Além disso, encontram no interior da comunidade de saúde digital um painel com estatísticas sobre a doença produzidas pelos próprios membros. É uma fonte de feedbacks. Outra funcionalidade muito utilizada é a rádio online que leva programações sobre saúde enquanto o site é visitado.


II. REDES SOCIAIS PARA PROFISSIONAIS

1. DOXIMITY
Este startup possui, com cadastro na empresa, 40% de todos os médicos nos Estados Unidos. Ter 250.000 membros não parece ser fácil, mas a empresa aposta na experiência do usuário e, principalmente, na segurança – quase todo o site é HIPAA-compliant, ou seja, atende a normas de seguranças estabelecidas para troca de informações médicas.
“Há certa distância que os profissionais de saúde precisa manter dos pacientes – legalmente e para seu próprio bem. Até um relacionamento no Facebook pode ser considerado como violação de privacidade”, disse o CEO da empresa, Jeff Tangney, sobre a necessidade de espaços seguros para compartilhamento de informações.

2. OLOGY
Os cofundadores da Ology, Marc Schipperheyn e Giovana Pieck, criaram a rede social após terem visto a necessidade deste tipo de espaço no meio médico. Esta é uma plataforma de saúde digital exclusiva para médicos que possibilita a discussão de casos e de temas pertinentes à área.
A dupla tem um background muito interessante: Marc é holandês, teve uma agência de internet na Holanda e resolveu ser empreendedor digital no Brasil e Giovana trabalhava como gerente de mídias digitais em saúde da Bayer.
Percebendo a crescente importância das redes sociais na área de saúde e observando o desenvolvimento de mais de 70 redes para médicos ao redor do mundo, a dupla resolveu lançar este startup focando na facilidade do uso, parcerias com soluções Como Eu Prescrevo plataforma de videoconferências e possibilidade de licenciamento da plataforma para hospitais criarem redes sociais próprias.

3. ISHARELIFE
A empresa atua com diferentes projetos na área da saúde digital, sendo os dois mais importantes o iDent e o iMeds, redes sociais para dentistas e médicos, respectivamente. Ao participar do iDent e do iMeds, o dentista ou médico cria um perfil profissional para compartilhar experiências ou tirar dúvidas. Juntas, as redes possuem 75 mil cadastrados com engajamento crescente e são mais de 100.000 conteúdos compartilhados.


Fonte:- Empreender Saúde (Nathalia Nunes)
Apoio:
xhl


sicredi
Blog
A tecnologia pode ajudar a sustentabilidade do sistema de saúde do Brasil
A discussão de compliance e ética no CQH 2018
Destaques
Exame de Obtenção de Título de Especialista em Medicina Preventiva e Social e Certificado de Área de Atuação em Administração em Saúde 2020
Webinar - A Arquitetura e Engenharia Hospitalar contribuindo para o Controle da Infecção Hospitalar
2020 - Concursos para obtenção de título de especialista em medicina preventiva e certificado de área de atuação em administração em saúde
Curso da APM ajuda na sustentabilidade de empreendimentos médicos
Liderança 4.0
Novo : Desafios da Lei Geral de Proteção de Dados para a Área da Saúde
Mais Recentes
Mais Lidas
1Manual de Indicadores de Enfermagem NAGEH 2012
2Rumo à Excelência: Critérios para avaliação do desempenho e diagnóstico organizacional
3CQH - Roteiro de Visitas
43º Caderno de Indicadores CQH - 2009
5Manual de Gestão Hospitalar
6Por que e como aderir ao Programa CQH
7Acreditação hospitalar: um movimento inexorável?
8Manual de Gestão Hospitalar do CQH
9Prêmio Nacional da Gestão em Saúde - Ciclo 2015-2016: Regulamento e Instruções para Candidatura
10Grupo de Indicadores de Enfermagem

apmsompas