TRANSLATE:
Login
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
06/02/18 - NOVAS REGRAS DE PLANOS DE SAÚDE NÃO PROTEGEM O CONSUMIDOR
A afirmação é do Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC)
Na última segunda-feira (29/01/18), começaram a valer as novas regras para a contratação de plano de saúde coletivo empresarial por microempreendedor individual e donos de pequenos negócios. Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a Resolução Normativa nº 432/2017 deve coibir fraudes relacionadas a esse tipo de contrato.
Para o IDEC, a medida não é efetiva, principalmente, por não oferecer proteção suficiente contra eventuais abusos por parte das operadoras. O Instituto enviou carta ao Ministério Público Federal (MPF), à Associação Nacional do Ministério Público do Consumidor (MPCon) e à Secretaria Nacional do Consumidor (SENACON) pedindo para as entidades exigirem da ANS a criação de regras mais rígidas, que protejam os consumidores de maneira mais adequada.
Segundo a advogada e pesquisadora em saúde do Instituto, Ana Carolina Navarrete, “nas novas regras, ao contratar um plano empresarial, o consumidor não conta com as garantias previstas no serviço individual/familiar, como a proibição do cancelamento unilateral por parte da empresa, e fixação de um índice máximo de reajuste”.
Em dezembro, o MPF de São Paulo anunciou que estava investigando a Amil, a Bradesco Seguros e alguns de seus corretores, devido a possíveis fraudes nos planos de saúde empresariais. De acordo com denúncias, os corretores estavam induzindo os consumidores a abrir microempresas para poder usufruir de planos coletivos. Na época, o Idec divulgou uma nota de apoio à investigação e afirmou que as fraudes ocorrem devido à má regulação da ANS, que leva à escassez de planos individuais.
“O que parece é que a ANS está tentando encontrar soluções para o seu fracasso em garantir a oferta dos planos individuais no mercado. Mas a solução aposta num modelo menos protegido de contrato envolvendo partes com uma diferença muito grande de forças (uma pessoa física ou pequeno grupo de um lado e uma operadora de planos de saúde de outro). As consequências podem ser desastrosas”, finaliza Navarrete.
Fonte:- Redação P&N
Apoio:
xhl


sicredi
Blog
MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO - UMA IMPORTANTE INFORMAÇÃO PARA TOMADA DE DECISÃO E NEGOCIAÇÃO NOS SERVIÇOS DE SAÚDE.
Destaques
CURSO NA FGV SOBRE "GESTÃO DA QUALIDADE EM SAÚDE"
Hospital Netto Campello recebe selo do CQH
Manual de Indicadores de Gestão de Pessoas - 2017
2017 - Concurso para obtenção de título de especialista em medicina preventiva e certificado de área de atuação em administração em saúde
RAS On-line
Gestão Hospitalar - O Papel do Médico Gestor
Mais Recentes
Curso de Formação de Avaliador 20/08/18
ALÉM DO COMPLIANCE 20/08/18
SARAIVA LANÇA SEGUNDA EDIÇÃO DO LIVRO “Manual de Gestão – organização, processos e práticas de liderança coletiva” 17/08/18
COMO OBTER RESULTADOS POSITIVOS 16/08/18
PROFISSIONAIS QUEREM QUALIDADE DE VIDA 15/08/18
TECNOLOGIA CONTRA A POBREZA 10/08/18
Primeiro Prêmio RAS 09/08/18
14a Sessão Pôster do CQH´2018 09/08/18
CQH´2018– XIX Congresso Brasileiro de Qualidade em Serviços de Saúde 09/08/18
MICROLOCALIZAÇÃO E PRODUTIVIDADE 08/08/18
Mais Lidas
1Manual de Indicadores de Enfermagem NAGEH 2012
2Rumo à Excelência: Critérios para avaliação do desempenho e diagnóstico organizacional
3CQH - Roteiro de Visitas
43º Caderno de Indicadores CQH - 2009
5Manual de Gestão Hospitalar
6Acreditação hospitalar: um movimento inexorável?
7Por que e como aderir ao Programa CQH
8Prêmio Nacional da Gestão em Saúde - Ciclo 2015-2016: Regulamento e Instruções para Candidatura
9Manual de Gestão Hospitalar do CQH
10Manual de Gestão - Organização, Processos e Práticas de Liderança
Videoaulas
Indicador de homem hora treinamento
Avaliação da Necessidade de Treinamento