TRANSLATE:
header_logo
Login
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
10/12/15 - Brasil: 60º em gastos em Saúde
Apesar de 75% da população brasileira depender do Sistema Único de Saúde (SUS), o Brasil dedica apenas 4,66% do Produto Interno Bruto (PIB) ao setor. O investimento coloca o país em 11º lugar entre os países da América no ranking de investimentos em saúde, atrás dos vizinhos Uruguai (6,14%), Argentina (4,92%) e Bolívia (4,75%). Se considerados os demais continentes, o Brasil aparece na 60ª posição.
“Um país com o modelo de saúde como o nosso, que se propõe a oferecer tudo para todos, precisa estar preparado para cobrir as crescentes despesas da área”, afirma o ex-deputado federal e ex-governador do Rio Grande do Sul Antônio Britto (PMDB), presidente-executivo da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma). Ele lembra que a população brasileira está envelhecendo e, com isso, os gastos com saúde para combater doenças crônicas e complexas, como diabetes e câncer, também estão aumentando.

Contudo, o orçamento de 2016 enviado ao Congresso Nacional prevê apenas R$ 109 bilhões para a pasta. Se considerarmos o orçamento original de saúde para 2015, de R$ 121 bilhões, corrigido pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA), o orçamento de 2016 seria de R$ 133 bilhões. Portanto, o orçamento enviado tem um déficit de R$ 24 bilhões, que deve agravar o subfinanciamento da área.

No decorrer do ano, o governo já havia anunciado cortes expressivos no orçamento de 2015, reduzindo em aproximadamente 11% o valor que deveria ter sido executado. Foram R$ 13,4 bilhões a menos, agravando a satisfação dos brasileiros com o serviço.

“As dificuldades já enfrentadas pelo brasileiro devem aumentar, agora que programas importantes estão sob risco de serem extintos”, afirma Britto. O Farmácia Popular, por exemplo, teve um corte de R$ 578 milhões previsto para 2016. Com isso, ele deve extinguir a modalidade de co-pagamento, que hoje beneficia 3 milhões de brasileiros por mês com medicamentos para dislipidemia, osteoporose, glaucoma e outras doenças, além de pílula contraceptiva e fraldas geriátricas.


Fonte: Monitor Mercantil - 08.12.2015
Apoio:
xhl


sicredi
Blog
A tecnologia pode ajudar a sustentabilidade do sistema de saúde do Brasil
A discussão de compliance e ética no CQH 2018
Destaques
2019 - Concursos para obtenção de título de especialista em medicina preventiva e certificado de área de atuação em administração em saúde
CQH: Hospital Regional de Presidente Prudente recebe selo
Em 25/10/2018, o Hospital Policlin de Taubaté recebeu selo do Programa CQH
Santa Casa de Limeira recebe Selo de Conformidade do Programa CQH
Haino Burmester é homenageado por trabalho à frente do CQH
Hospital Netto Campello recebe selo do CQH
Mais Recentes
EUROFARMA E KNIGHT THERAPEUTICS DISPUTAM A BIOTOSCANA 21/10/19
PRÉ LANÇAMENTO “GESTÃO DE PESSOAS EM SAÚDE”: 11/10/19
FLEURY COMPRA DIAGMAX 08/10/19
AUTOGESTÃO 07/10/19
Apresentações 30/09/19
Apresentações 30/09/19
PROTEÇÃO DE DADOS PESSOAIS 27/09/19
SÍNDROME DE BURNOUT 23/09/19
LIDERANÇA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO 23/09/19
GOVERNANÇA CORPORATIVA 23/09/19
Mais Lidas
1Manual de Indicadores de Enfermagem NAGEH 2012
2Rumo à Excelência: Critérios para avaliação do desempenho e diagnóstico organizacional
3CQH - Roteiro de Visitas
43º Caderno de Indicadores CQH - 2009
5Manual de Gestão Hospitalar
6Por que e como aderir ao Programa CQH
7Acreditação hospitalar: um movimento inexorável?
8Manual de Gestão Hospitalar do CQH
9Prêmio Nacional da Gestão em Saúde - Ciclo 2015-2016: Regulamento e Instruções para Candidatura
10Manual de Gestão - Organização, Processos e Práticas de Liderança