TRANSLATE:
header_logo
Login
ÚLTIMOS ARTIGOS
Viciado no e-mail
Assim que o despertador toca, qual é a sua primeira ação? Para 80% dos entrevistados, segundo pesquisa da IDC Research, é checar o celular. E entre os maiores vícios no smartphone tem um que reina soberano: o vício no e-mail. A vontade de saber se você não recebeu algo importante recebeu até uma terminologia: nomofobia, a fobia de ficar sem o celular e sem um meio de comunicação.

O hábito de checar os emails de forma insistente atrapalha a sua concentração e acaba com a produtividade. Em vez de poder focar algum tempo nas suas atividades, você se interrompe regularmente para ver se não há nenhuma informação vital na sua caixa de entrada - ou, pelo menos, algo que possa te distrair do relatório maçante que você precisa escrever.

E pode até haver um e-mail importante de um cliente ou do seu chefe, mas junto vem o vídeo engraçado, a piada do amigo... Tudo o que colabora apenas para a sua procrastinação.

Falamos aqui em e-mail, mas o mesmo vale para as redes sociais, grupos de Whatsapp e assim por diante - todas as ferramentas de comunicação instantâneas.

Em "Previsivelmente Irracional", o autor Ariely cita a Teoria do Reforço do psicólogo B.F. Skinner. Segundo um experimento de Skinner, se um rato recebe uma recompensa (alimento) depois de realizar uma tarefa (apertar um botão), após um número determinado de vezes ele aprende a prever o resultado e aperta o botão apenas quando está com fome.

No entanto, se a recompensa surge de forma aleatória, sem ter como prever quantos vezes ele terá que apertar o botão, os ratos continuavam a apertar o botão por muitas e muitas vezes.

Troque o "apertar o botão" por "checar o e-mail" e você conseguirá entender o nosso ponto. Não temos como prever quando receberemos algo importante no e-mail (a recompensa). Por isso, continuamos a verificar de tempos em tempos a nossa caixa de entrada. Não há nada mais aflitivo do que a notificação de um novo e-mail do que quando estamos esperando notícias sobre um novo emprego, por exemplo.

Uma forma de lidar com esse vício é desabilitar as notificações automáticas de e-mail. Desta forma, você reduz a quantidade de distrações que tem no seu dia e precisa ir até a sua caixa de entrada para descobrir se tem algo lá te esperando. As notificações só levam à procrastinação. Se você está concentrado em alguma tarefa, não é lembrado que recebeu um e-mail que pode ou não ser importante o tempo todo.

Além disso, você pode usar as diversas ferramentas de produtividade que existem atualmente. Você pode configurar seu celular para avisar com um toque diferente quando recebe um e-mail de uma fonte importante, por exemplo. Assim, a recompensa passa a existir cada vez que a notificação toca - e a sua ansiedade diminui.
Apoio:
xhl


sicredi
Blog
A tecnologia pode ajudar a sustentabilidade do sistema de saúde do Brasil
A discussão de compliance e ética no CQH 2018
Destaques
Gestão de Pessoas em saúde
2019 - Concursos para obtenção de título de especialista em medicina preventiva e certificado de área de atuação em administração em saúde
CQH: Hospital Regional de Presidente Prudente recebe selo
Em 25/10/2018, o Hospital Policlin de Taubaté recebeu selo do Programa CQH
Santa Casa de Limeira recebe Selo de Conformidade do Programa CQH
Haino Burmester é homenageado por trabalho à frente do CQH
Mais Recentes
Gestão de Pessoas em saúde 09/12/19
HAPVIDA COMPRA MEDICAL 04/12/19
Hospital da FAB obtém selo de qualidade pela oitava vez 28/11/19
Hospitais podem aumentar lucro e disponibilidade com gestão de ativos 28/11/19
Mais Lidas
1Manual de Indicadores de Enfermagem NAGEH 2012
2Rumo à Excelência: Critérios para avaliação do desempenho e diagnóstico organizacional
3CQH - Roteiro de Visitas
43º Caderno de Indicadores CQH - 2009
5Manual de Gestão Hospitalar
6Por que e como aderir ao Programa CQH
7Acreditação hospitalar: um movimento inexorável?
8Manual de Gestão Hospitalar do CQH
9Prêmio Nacional da Gestão em Saúde - Ciclo 2015-2016: Regulamento e Instruções para Candidatura
10Manual de Gestão - Organização, Processos e Práticas de Liderança